(19) 3744-3646 / (19) 97170-8431
alejandra-quiroz-658-unsplash

Como fica a sexualidade do casal que deseja engravidar

By : on : 13 de março de 2018 comments : (0)

Parece óbvio pensar na importância da sexualidade quando se tem o desejo de engravidar, não parece? Mas esse é um assunto delicado, que os casais evitam falar e que, muitas vezes, influencia não só no resultado desejado, mas também na conexão entre o casal por conta da culpa e da cobrança. De repente o sexo, que era apenas expressão de amor e prazer entre os dois, passa a ter a finalidade da procriação. Formar uma família é algo muito importante para muitos casais. A decisão de terem filhos, por si só, faz com que novos pensamentos invadam o momento de intimidade. “Será que engravidei? Será que é agora que nosso filho chegou?”

Esses questionamentos mudam a percepção sobre o sexo, gerando o sentimento da obrigatoriedade. E, se a gravidez demora a acontecer, a cobrança interna, e muitas vezes externa, prejudica ainda mais o desempenho. O que era pra ser prazeroso, se torna um momento de tensão e de cobrança pela performance de ambos. É aí que a sexualidade passa a ser também um fator que dificulta a gravidez, podendo levar a disfunções, sendo a dificuldade de ereção a mais comum nos homens e o vaginismo (dor durante a penetração, sem causa orgânica ou anatômica) a mais comum na mulher. Com isso, a autoestima, a autoconfiança e o desejo sexual podem diminuir.

O mais importante nesse momento é realmente falar sobre o assunto e entender que os problemas relacionados à sexualidade, assim como os relacionado à fertilidade, também são do casal, e nunca de um só. É a interação e a conexão entre os dois que pode ser capaz de modificar a situação, independente de onde está partindo a maior dificuldade.

O que fazer quando o desejo diminui pela cobrança interna, pela obrigatoriedade, pela culpa?

É preciso um olhar atencioso para o que acontece no mundo interno. Checar como estão os pensamento com relação à satisfação pessoal, a autoestima, o sentimento de desejar e ser desejado, a excitação. É importante que a mulher conheça seu próprio corpo, perceba os estímulos que despertam prazer, se estimule sexualmente. Como sempre, uma alimentação equilibrada e a prática de atividade física regular podem melhorar, não só a saúde e a disposição, mas também o estado emocional a partir da sensação do autocuidado e carinho. Outra prática que tem se mostrado uma excelente aliada nos problemas da sexualidade é a meditação, por trazer a mente para o momento presente, esquecendo o passado ou o que está por vir. Além disso, existem situações que a psicoterapia ou até mesmo a terapia sexual podem ser muito bem vindas nesse processo interno.

Seja qual for o momento e a dificuldade na vida do casal, o mais importante é a abertura ao diálogo, a transparência e o afeto.

clinfiv

Author

view all posts

Deixe uma resposta